Sensação de estar sendo espionado no celular? Descubra!

Já teve aquela sensação estranha de achar que está sendo espionado no celular? Pior é que pode estar acontecendo mesmo! Veja nosso guia passo a passo pra descobrir

Todos já tivemos essa sensação, seja na “vida real” ou no aparelho celular. Além de ser uma sensação ruim, gera grande preocupação, principalmente quando falamos de dados pessoais e informações sigilosas.


Pensando nisso, separamos aqui 4 passos que irão te ajudar a entender se essa sensação de estar sendo espionado é real ou só paranoia. Segue o fio e confira!

Sensação de estar sendo espionado no celular? Confira 4 passos para saber!

Leia tambem – veja como funciona o futebol da hora futebol ao vivo

A maioria dos apps espiões pode permanecer oculta no menu do celular.

Além disso, eles não indicam que o aparelho está sendo monitorado, pois o propósito deles é justamente ficar escondido.

Sensação de estar sendo espionado no celular? Descubra!

No entanto, existem algumas ações que você pode realizar para verificar se algum desses apps foi instalado no seu dispositivo:

  1. Verifique no menu Ajustes (iPhone) ou Configurações (Android) se todos os aplicativos listados são reconhecidos por você;
  2. Confira quais aplicativos têm permissão para acessar o microfone, a câmera, as fotos e o serviço de localização;
  3. Caso encontre algum aplicativo desconhecido, desinstale-o. Esta abordagem é eficaz para aplicativos mais simples, mas para aqueles que exploram vulnerabilidades de segurança, a utilização de um antivírus pode ser necessária;
  4. Preste atenção se o consumo de dados ou da bateria aumentou significativamente, ou se ferramentas como 4G e Bluetooth foram ativadas sem sua permissão.

Esses podem ser indícios de que há um app espião no seu celular!

Explicação em video

Veja nesse tutorial mais algumas dicas:

Descobri que estavam me espionando no celular. E agora?

O artigo 10 da Lei 9.296/96 define como crime “realizar interceptação de comunicações telefônicas, de informática ou telemática, promover escuta ambiental ou quebrar segredo da Justiça, sem autorização judicial ou com objetivos não autorizados em lei”.

Nesses casos, a pena prevista é de prisão, de dois a quatro anos, além de multa. Contudo, há exceções: os pais podem monitorar filhos menores de 18 anos, e empregados podem ser monitorados quando utilizam celulares corporativos.

Em outras situações, além do crime de interceptação de comunicação, o invasor pode ser enquadrado na Lei Carolina Dieckmann (Lei 12.737/2012).

Tambem ja falamos aqui em outro artigo sobre a lei anti stalking que trata sobre a perseguição na internet ou outros meios. Leia e fique por dentro.

Sensação de estar sendo espionado? Confira 4 passos para saber!

Essa lei prevê pena de detenção, de três meses a um ano, e multa para quem violar dispositivos de segurança com a finalidade de “obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização expressa ou tácita do titular do dispositivo ou instalar vulnerabilidades para obter vantagem”.

Como evitar apps espiões:

  • Desconfie de links e programas enviados por outras pessoas: nunca abra links ou instale programas se não tiver certeza de que são seguros;
  • Instale um antivírus no seu celular: faça varreduras periódicas com um antivírus. Ele pode sinalizar links ou aplicativos não confiáveis. Alguns antivírus também permitem configurar um código específico para baixar e instalar novos programas, útil caso alguém tenha a sua senha de desbloqueio;
  • Evite emprestar seu celular: limite o acesso físico ao seu dispositivo;
  • Defina uma senha para desbloqueio: sempre utilize uma senha para desbloquear seu aparelho.

Considerações finais

Já teve essa sensação de estar sendo espionado e não sabia como proceder Agora, você tem opções para testar.

Curtiu o conteúdo? Certamente, essas informações serão úteis para evitar que invasões aconteçam e você tenha seus dados pessoais vazados.

Sugestões ou duvidas podem ser deixadas nos comentários!

Gostou do artigo? Mande para os amigos:
Avatar de Debora Freitas

Debora Freitas

Olá, me chamo Débora e o conteúdo que voce acabou de ler foi feito por mim! Trabalho como redatora há mais de 10 anos e, atualmente, atuo como freelancer. Para me contatar, envie um e-mail para [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *