Pesquisa revela trajetória alternativa de jogos e as práticas mais comuns entre os usuários

Levantamento realizado pela Betway mostra a estruturação do cenário de games no mercado nacional através de trajetórias alternativas de jogos.


Os jogos virtuais, de uma forma geral, ganharam espaço na vida de adultos e crianças. Além de uma simples diversão, os jogos estão presentes no dia a dia de várias famílias brasileiras.

Pesquisa revela trajetória alternativa de jogos

Divertido, extremamente interativo e capaz de unir pessoas em um processo único, seja online ou off-line e com representatividade em todos país, os games estão tomando conta da criançada e dos fãs desse esporte.

Mas o que será que existe por trás de todo esse processo entre a prática e a acessibilidade às várias modalidades de jogos?

A prática de jogos é algo extremamente comum nos lares brasileiros e parte dessa estruturação e conhecimento foi introduzida pelo mercado paralelo de jogos e sua facilidade ao acesso.

Embora muito criticado, o mercado paralelo da pirataria ficou extremamente conhecido e utilizado no universo dos games.

Pensando nessa polêmica sobre o assunto, a Betway, casa de aposas especializada em eSports bets, desenvolveu uma pesquisa capaz de revelar a trajetória dessa forma alternativa de jogos e as práticas mais comuns entre os usuários.

Polêmica, a prática da pirataria segue um histórico entre a velocidade da inserção no mundo dos games brasileiros, às novas tecnologias e o impacto que essa má utilização causou para a indústria produtora de games.

Com grande visibilidade no mercado brasileiro, o Playstation teve seu lançamento e velocidade surpreendente no Brasil, mas essa acessibilidade se deu de forma ilegal.

Considerada como uma versão pirata, milhares de cópias de jogos foram lançadas no comércio com preços inferiores aos originais, causando vasta expansão e grande acesso a várias modalidades de jogos antes considerados inacessíveis por milhares de brasileiros.

Pesquisa revela trajetória alternativa de jogos

Trajetórias do mercado alternativo de games

Os jogos que podem ser manipulados eletronicamente, conhecidos como vídeo games, tiveram sua trajetória marcada por uma transição entre o final dos anos 90 e início dos anos de 2000. Assim, o lançamento do famoso Playstation se tornou febre entre os adeptos.

Mais que uma febre no universo game, o Playstation teve uma evolução significativa quando o assunto é acesso aos jogos, revolucionando a utilização das já obsoletas fitas e cartuchos por modernos CD´s que foram facilmente encontrados em bancas de camelôs com preços infinitamente mais acessíveis que os originais, visto que se tratava de réplicas piratas.

Embora a pirataria tenha tornado popular o acesso aos jogos criados pelas principais produtoras, ainda houve o surgimento de um novo mercado paralelo chamado Mods, que são games alterados em sua estrutura digital.

As faces da pirataria e os impactos do “jeitinho brasileiro” no plágio de jogos eletrônicos

A princípio, a pirataria parecia tornar popular os tão inacessíveis jogos por atingir camadas sociais mais baixas e indivíduos menos favorecidos economicamente. Contudo, no decorrer da popularidade alcançada com a vasta utilização, o que se tornou notório foi a vasta popularidade dessa prática esportiva.

A cultura gamer passou por várias transições entre lançamentos e inovações e a pirataria sedimentou e ampliou a prática desses jogos, transformando-os em entretenimento popular.

Mas foi em dezembro de 2006 que foi lançado o Xbox 360 no Brasil, tornando o acesso praticamente irrestrito, o que tornava totalmente dispensável a aquisição de títulos originais. Isso levou a produtora a repensar não apenas sobre a pirataria, mas passou a lidar também com o contrabando.

O produto adquirido no mercado paralelo poderia ser adquirido com uma margem de 40% menor do que o original, fato esse que se deu por conta da tributação do produto até chegar no consumidor final.

A Microsoft foi ousada pelo lançamento do Xbox 360, pois quando comparada com a Nintendo e a Sony ela era a que tinha menor aptidão e conhecimento no mercado. Portanto, embora tivesse grandes chances de fracassar, foi o marco inicial do segmento da indústria do entretenimento e fomentou o comércio legal dos games.

A principal finalidade das produtoras dessa indústria tinha como intuito provar aos usuários que vale a pena investir nos produtos originais para desbancar o comércio ilegal dos produtos paralelos, mas isso envolvia vários fatores incluindo a produção em solo nacional.

Ao longo das inovações vieram os downloads de conteúdo, os móbiles. Assim, sucessivamente, o que antes era considerado um privilégio de poucos, passou a ser algo mais palpável para quem tem menos recursos financeiros, pois pode ser acessado facilmente até mesmo por um aparelho celular.

Podemos concluir que a pirataria popularizou os jogos de uma forma mais abrangente e atingiu várias camadas sociais, com isso abriu novos horizontes e despertou o interesse de grandes produtores sobre esse rico mercado.

Pesquisa revela trajetória alternativa de jogos
Gostou do artigo? Mande para os amigos:
Avatar of Junior Silveira

Aficcionado por Tecnologia,paixão por games, desde a época do pentium133. Macmaniaco e entusiasta do android. Junior escreve aqui no celular sobre sua paixão e ajuda os leitores com seus tutoriais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.