Bruno Espiao – É legal utilizar aplicativos de monitoramento remoto?

Compartilhe

Que a internet se tornou uma terra sem leis nos últimos anos nem é novidade. Você pode ser quem você quiser do outro lado da tela, além de poder conversar com qualquer um há milhares de quilômetros de distância sem nunca saber se o outro é quem diz ser. Muitos pais têm se preocupado em com que os filhos têm tido contato nas redes sociais hoje em dia, qualquer um pode ser um criminoso virtual conversando com os seus filhos. 

Em um mundo virtual em que você pode estar em contato com um desconhecido sem nunca saber suas reais intenções, é necessário ser cauteloso. Pensando nisso, diversas ferramentas de monitoramento virtual remoto surgiram ao longo dos anos visando controlar o tipo de conteúdo ao qual os filhos têm acesso na internet, ou para quem sabe, conseguir entender com quem o seu parceiro têm se relacionado além de você.

Bruno Espiao

Apesar de ser conhecida como terra sem lei, é possível monitorar de perto os passos da pessoa querida sem que ela saiba que a sua privacidade está sendo violada ao grampear um aparelho. Muitos dirão que isso é apenas uma forma de zelar pela segurança, e de certa forma, pode ser a melhor maneira de proteger os seus entes queridos. 

Ferramentas como o bruno espião visam auxiliar você a encontrar a verdade sobre muitos aspectos. Se você suspeita que os seus filhos podem ser alvos de pessoas mal-intencionadas online, ou que seu parceiro pode estar desenvolvendo alguma reação extraconjugal, o monitoramento remoto pode ser uma opção interessante na hora de descobrir um pouco mais sobre com quem seus entes queridos tem se relacionado. 


O monitoramento a distância pode não ser uma ferramenta completamente legal em no Brasil dependendo ao qual fim seja usado. Desde que o aparato tecnológico seja seu, o monitoramento remoto de computadores e celulares não é considerado crime no país, apesar de moralmente questionável. Se a sua intenção é verificar as atividades online dos seus filhos ou de funcionários, o fim tecnicamente seria legal por se tratar de um computador ou celular em vias de regra seria seu. 

Ficou curioso? Programas e aplicativos como o brunoespiao.com.br tem se popularizado cada vez mais nos grupos de pais e patrões de todo o Brasil, facilitando com que o monitoramento remoto de todas as atividades na internet sejam revistas e acompanhadas de perto sem que a pessoa saiba que está sendo monitorada. 

Quando se fala em segurança, pode parecer exagerado querer acompanhar tão estritamente o que os seus filhos por exemplo têm acesso, mas em compensação, imagine só poder protege-los de criminosos e assediadores remotamente e com segurança? É difícil saber com quem está lidando online, ainda mais só para uma criança ou adolescente que ainda não tenha desenvolvido habilidades críticas para se proteger de possíveis ameaças.

 É claro que para monitoramento de conjugues ou namorados há uma brecha nesse quesito. Grampear o celular pode ocasionar em descobertas desagradáveis, e as vezes, optar pelo sigilo pode ser a melhor opção. Mas e você? O que você pensa sobre esse assunto? Você monitoraria seus filhos se pudesse?

 

Recomendados para você:


Compartilhe

Aficcionado por Tecnologia,paixão por games, desde a época do pentium133. Macmaniaco e entusiasta do android. Junior escreve aqui no celular sobre sua paixão e ajuda os leitores com seus tutoriais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *