Como escolher o melhor antivírus?

Compartilhe

Quando chega a hora de escolher um software para usar como segurança de nosso sistema operacional do computador, é preciso entender algumas questões para não baixar qualquer programa e acabar desprotegido ou até trazendo malwares para o seu computador! 

O antivírus é responsável por fazer escaneamentos periódicos em sua máquina verificando todos os arquivos presentes com o intuito de eliminar qualquer praga digital que possa danificar o equipamento – além de bloquear instantaneamente qualquer vírus ou trojan identificado ao tentar baixar algum arquivo malicioso. 

Mesmo que o arquivo não contenha algum malware explícito, só de apresentar suspeitas no programa de antivírus já é impedido de ter acesso às informações do sistema como forma de precaução. Quer saber como e por que isso acontece? Continue acompanhando este conteúdo. 

Como o antivírus funciona?

antivirus

Para melhor compreensão podemos dizer que o antivírus é como uma rede, tendo a responsabilidade de filtrar arquivos e capturar todos os que foram desenvolvidos por programadores mal intencionados – impedindo então a ação de tudo que possa danificar o computador. 

Essa rede é capaz de proteger a máquina de sites infectados, arquivos corrompidos ou dispositivos externos – como, por exemplo, HD e pen drive – que estejam contaminados com trojans, malwares e qualquer outra ameaça virtual!

Entende-se então que seu antivírus basicamente serve para identificar e deter os vírus invasores do sistema operacional – independente de qual programa seja escolhido, podendo ser de um pacote mais básico e gratuito ou o mais completo e pago.

O melhor de tudo é que esse tipo de programa tem o próprio banco de dados. Isso quer dizer que o próprio antivírus consegue ter informações sempre atualizadas sobre as ameaças encontradas na rede digital. 

Por contar com essas informações disponíveis, o próprio antivírus realiza uma comparação para detectar a presença de invasores em sua máquina e, caso algum programa malicioso tente alterar o sistema, consegue reconhecer esse comportamento e bloquear imediatamente a ação.

 

Mas e se o malware não for identificado?

Provavelmente você deve estar se perguntando o que acontece quando um arquivo age de modo suspeito ou não é identificado pelo banco de dados do antivírus. Achou que não existia solução para isso? Se a resposta for “sim”, você está enganado. 

Todo antivírus trabalha com a opção da quarentena – usada quando o programa de segurança não consegue identificar ao certo se está lidando com algum tipo de praga e manda o arquivo suspeito para o que podemos reconhecer/imaginar como “prisão”.

Esse arquivo não tem acesso a nenhuma informação da máquina e fica isolado até que seja reconhecido por alguma atualização nas “fichas” das ameaças.

Já deu pra ver que o antivírus tem tudo que é preciso para garantir que cibercriminosos não tenham sucesso em conseguir afetar seu sistema operacional. Vale lembrar também que esses programas eliminam todas as brechas que o sistema possa ter.

Fica claro então que, mesmo sendo cauteloso com o que você vai acessar na internet, o antivírus não é dispensável. 

No entanto, também ressaltamos que mesmo tendo o melhor antivírus de todos com base em sua opinião e seus conhecimentos sobre o segmento, evitar comportamentos de risco quando estiver navegando e buscar se manter sempre informado sobre segurança digital são medidas essenciais para manter seu computador fora de riscos.

 

O que o vírus pode fazer no meu computador?

Vírus de computador é nada mais nada menos do que um programa ou trecho de código projetado para danificar seu PC. 

É capaz de corromper diferentes arquivos de qualquer sistema – desde a utilização de recursos, destruição de dados e qualquer outra ação que prejudique o bom desempenho da máquina e a navegabilidade do usuário. 


Mas isso não é o pior! O problema todo é que os vírus podem se auto replicar e assim conseguem gerar auto-cópias para outros arquivos, drives e computadores sem consentimento dos usuários responsáveis (são uma espécie de doença contagiosa virtual). 

Os impactos causados em seu computador vão depender diretamente do propósito com qual o programa ou trecho de código foi desenvolvido. Por exemplo, você deve conhecer o cavalo de tróia, não é?

Este é um dos malwares mais conhecidos. Passando-se por programas aparentemente inofensivos, os usuários acabam realizando a instalação de arquivos que contém essa praga sem saber disso. Então, é assim que esse vírus consegue coletar informações, configurar brechas em sua segurança e até ter o controle total do computador, impedindo que seja possível acessá-lo novamente.

 

Como saber que o meu computador está com vírus?

Como qualquer erro por parte da máquina já nos faz pensar que o computador foi infectado por vírus, fica um pouco difícil de saber quando algo está errado realmente. Para tirar dúvidas, é interessante verificar primeiro se o seu computador está atualizado!

Caso você identifique que a atualização está em dia, fazer uma limpeza e perceber computador continua apresentando alguns erros fora do comum, a solução é tomar medidas para eliminar as pragas virtuais e outras ações – garantindo assim que sua máquina está segura. 

Portanto, fique atento aos sinais mais comuns que podem te ajudar a saber logo de cara se o seu computador está de fato infectado ou apenas desatualizado. Para te ajudar nessa questão, temos aqui uma lista com os principais sintomas de um computador infectado por vírus:

  • Processamento do computador e internet mais lentos;
  • E-mails que você não enviou em sua caixa de saída;
  • Ações com falta de comando ou resposta – como quando o computador para de responder aos seus cliques, começa a abrir arquivos por conta própria, desliga sozinho ou começa agir como se uma tecla tivesse sido pressionada quando nada foi acionado;
  • Mensagens de erro;
  • Anúncios contendo publicidade incomum;
  • Presença de arquivos que você não baixou ou falta de arquivos que você baixou;
  • Problemas no hardware ou acessórios. 

DICA: Como nem sempre o computador vai apresentar sintomas que está infectado por vírus ou malwares, faça buscas periódicas com seu antivírus (utilizando a função scanner) para certificar-se de que seu computador está realmente limpo! 

Isso acontece porque as pragas podem ser programadas para que tenham ações discretas. 

 

E, afinal, como escolher um bom antivírus?

Nunca tome a decisão de baixar um antivírus do primeiro site que encontrar ou após a primeira recomendação que receber. É importante conhecer melhor suas opções, procurando saber inclusive sobre a experiência da empresa responsável pelo software.

Se você estava pensando “como posso proteger meu computador contra vírus?” por reconhecer que não é possível tentar evitar vírus sozinho e não sabe qual programa de antivírus escolher, precisa conhecer as marcas disponíveis. 

Procure por empresas com especialidade e experiência no assunto e que disponibilizam sistemas completos – desenvolvidos especialmente para garantir o melhor desempenho de sua máquina sem correr o risco de sofrer danos causados por qualquer vírus. 

Navegando pelos sites você pode conferir nossos serviços e encontrar opções de antivírus grátis, antivirus Mac e antivírus para windows. 

Atente-se em procurar saber sobre a finalidade do antivírus, já que existem versões domésticas e outras corporativas. Portanto, se quer antivírus para computadores usados com fins pessoais, opte por programas como o antivírus NOD32 (que é definido como doméstico). Já se você busca por um antivírus para computadores de empresas ou usados com fins comerciais, procure por versões de antivírus corporativo!


Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *