O Top 5 das marcas de celular na China – prepare-se para se surpreender!

Top 5 das marcas de celular na China


Foto de Kiryl Sharkouski disponível no Unsplash

O mundo da tecnologia tem estado atento à guerra comercial de celulares entre os Estados Unidos e a China nos últimos anos. Porém, os dois países ainda estão investidos fortemente no mercado de telecomunicações um do outro. 

Isso se os últimos números do mercado de telefonia móvel da China nos disserem algo. Já se sabe que marcas chinesas como Xiaomi e Huawei conquistaram uma posição de destaque em muitos países do ocidente, mas como as marcas ocidentais se saem no mercado chinês?

Dados da pesquisa Smartphone Market Pulse, realizada pela firma Canalys, para o primeiro trimestre de 2022 foram divulgados, e o resultado das 5 principais marcas de celulares da China neste momento é muito interessante.

 

Xiaomi

Há que se reconhecer a ambição da Xiaomi, independentemente de opiniões pessoais sobre a marca. A empresa chinesa se tornou recentemente a segunda maior fabricante de celulares do planeta, atrás apenas da Apple.

xiaomi celular

Porém, este não tem sido o melhor dos anos na terra natal da Xiaomi. O crescimento em 2021 foi seguido por uma queda no crescimento e na participação de mercado, embora de acordo com a pesquisa a empresa ainda tenha conseguido vender 10,6 milhões de unidades.

A série Xiaomi 12 tem dividido opiniões, o que pode explicar parte do declínio, porém a própria empresa continua otimista. Recentemente, ela entrou para a indústria de carros autônomos adquirindo a Deepmotion por US$77 milhões e tornando-se uma concorrente da Tesla e Baidu no processo.

Mas os planos da Xiaomi não param por aí: essa compra faz parte de um investimento de 10 bilhões de dólares nos próximos 10 anos na indústria de carros elétricos. Portanto, não se admire se você encontrar um carro Xiaomi na rua em pouco tempo.

 

Vivo

Ao vender quase 10 milhões de unidades a menos do que no último trimestre de 2021, a Vivo perdeu 8% do mercado chinês no primeiro trimestre de 2022. 

E de fato, não ajudou em nada quando um carregamento de seus aparelhos pegou fogo no aeroporto de Hong Kong, levando a especulações de que as baterias estavam defeituosas. Pouco tempo depois a Hong Kong Airlines proibiu o envio de aparelhos Vivo por tempo indeterminado. 

Some-se a isso o processo judicial movido pela polícia indiana contra a empresa depois de descobrir que 13.500 smartphones no país estavam todos funcionando com o mesmo número IMEI, dificultando muito o rastreamento dos criminosos. O caso ainda não foi resolvido.

Apesar destes problemas, a Vivo continua sendo uma marca popular em sua terra natal, e pode se beneficiar de futuras sanções contra marcas estrangeiras. 

 

Apple

A Apple conseguiu a façanha de atingir um crescimento de 17% entre 2021 e 2022. Isso mesmo sendo de longe a marca mais cara da China E estando sujeita a restrições governamentais.

Seu preço unitário é semelhante ao dos EUA, em média em torno de US$ 1.000, valor próximo do salário médio mensal no país asiático. No entanto, isso ainda não impediu que os consumidores chineses economizassem para poder comprar os modelos mais recentes, ou que esperassem conseguir acertar os números da loteria chinesa.

A venda de quase 14 milhões de unidades da Apple lhe conferiu uma fatia de mercado de 18% no primeiro trimestre de 2022, indicando que os chineses ainda são fãs dos produtos de qualidade da marca. 

Além disso, a Apple continua popular com uma geração jovem ansiosa para parecer cosmopolita: possuir um telefone estrangeiro se encaixa nessa imagem, e o status de item de luxo dos produtos Apple contribui para o apelo.

 

OPPO

A marca líder de mercado em 2019 viu sua parcela cair de 23% para 18% no primeiro trimestre deste ano, embora ainda tenha vendido mais unidades do que a Apple. 

O carro-chefe da empresa, a série Find X5, liderada pelo modelo de luxo Pro, fez barulho no seu lançamento, que foi ampliado por fortes vendas de seu smartwatch. 

Há rumores de que o próximo lançamento será um forte oponente para o Samsung Galaxy Z Flip 3. Descrito como um telefone flip vertical, ele pretende ser uma versão mais acessível do que o produto da Samsung. 

Se a Oppo acertar a mão com esse produto, eles poderão ir para o topo das listas no final deste ano.

 

Honor

Para chegar ao topo a Oppo terá que bater um concorrente formidável. O crescimento da Honor nos últimos 12 meses foi simplesmente incrível. Ela quadruplicou sua participação de mercado de 5% para 20%; vendeu 15 milhões de unidades, triplicou o valor do 1º trimestre de 2021 e registrou um crescimento anual de 205%. 

Depois de se separar da Huawei, a empresa se libertou das amarras de seu antigo parceiro. Ela também faz uso de sua rede de fornecedores e distribuidores, e de peças como o chipset Snapdragon 778G que não está disponível para a Huawei.

Além disso, sua pesquisa e desenvolvimento de última geração e sua boa reputação entre os chineses são grandes razões para explicar o crescimento explosivo da empresa.

Se a Honor seguir nesta tendência impressionante, ela não será apenas um dos maiores fabricantes da China, mas uma força global.

Já falamos em outro artigo sobre o xiaomi travando, leia e veja o que fazer!

 

Receba nossas novidades antes de todo mundo:

Top 5 das marcas de celular na China
Gostou do artigo? Mande para os amigos:
Avatar de Junior Silveira

Junior Silveira

Aficcionado por Tecnologia,paixão por games, desde a época do pentium133. Macmaniaco e entusiasta do android. Junior escreve aqui no celular sobre sua paixão e ajuda os leitores com seus tutoriais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *